Archive for the ‘Megacorporações’ Category

Administração e Justiça

quarta-feira, 21 novembro 2007

Um dos episódios que contribuiu para o nascimento deste blog foi a PRISÃO EQUIVOCADA DE UM INOCENTE POR 2,5 ANOS. Embora eu não tenha as estatísticas (alô leitores! se alguém tiver as estatísticas sobre injustiças e erros do sistema carcerário e judiciário ou souber onde encontrá-las favor contribuir) não se trata de caso isolado.

Achei que um blog que mostre como uma boa administração das instituições pode ajudar a melhorar a sociedade vale a pena. Por enquanto estamos vendo o show de horrores de uma administração perversa e criminosa perpetrado em nome de toda a sociedade.

Vejam a notícia que veio a público ontem e hoje. Em Abaetetuba, no Pará, UMA JOVEM FICOU PRESA POR 30 DIAS NUMA CELA COM 20 HOMENS, VIOLADA DIARIAMENTE SOB PENA DE FICAR SEM COMIDA... Estarrecedor!

Quantas coisas erradas precisam acontecer para que se chegue nestes resultados… e com esta freqüência… A única atitude cabível neste caso é que sejam tomadas todas as providências para que ISTO JAMAIS VOLTE A SE REPETIR!!

Mas não é o que se vê. Na CBN, hoje, o delegado justificava com o fato de que a menina, menor de idade, não informara a idade corretamente (no fundo o delegado quer culpar a menina pelo que ocorreu)… Na Folha: ” O delegado Celso Viana, de Abaetetuba, justificou o fato de ela ter ficado presa com outros detentos porque a delegacia da cidade tem apenas uma cela.”

Justificativas como estas equivalem a uma promessa de que estes absurdos voltarão a ocorrer.

Estas ocorrências não são meros acasos.. há método nesta loucura… voltaremos ao assunto!

Anúncios

Cultura(s) Organizacional(is)

quarta-feira, 21 novembro 2007

Nesta próxima 5.a feira haverá a defesa de um TCC (Trabalho de Conclusão de Curso) que orientei na pós da Uninove a respeito dos Aspectos Culturais e Organizacionais no Processo de Aquisição do BankBoston pelo Banco Itaú ocorrido em 2006.

Há um consenso de que o Banco do Brasil é (ainda) o maior banco do país. Mas, depois desta aquisição a disputa entre o Itaú e o Bradesco pelo segundo lugar passou a depender de cada milhãozinho e do critério utilizado.

Menciono este fato pela atualidade do tema. A Revista Época Negócios que está nas bancas (nov. 2007) traz extensa matéria sobre a aquisição do ABN Amro por um consórcio de bancos europeus pelo valor de US$ 100 bi. No Brasil isto significará a aquisição do Banco Real pelo Santander (ex-Banespa). Os números destas duas organizações somados (mais de 2100 agencias, quase 55 mil funcionários, patrimonio de R$ 20,6 bi …) resultarão em mais um banco na disputa.

Sem citar a fonte, a Revista menciona ainda que, neste ano ocorreram no primeiro trimestre 69 fusões no mundo todo e que a estimativa é de 300 até 2008. (Pode-se presumir que de fato estes números sejam muito maiores porque as fontes são em geral, estudos de consultorias ou acadêmicos e não há um órgão centralizador destas estatísticas).

Dois aspectos a serem ressaltados. Um mencionado pela própria revista. Conforme estudo da KPMG, “83% de todas as uniões empresariais deixam de produzir benefícios para os acionistas e mais de 50% delas destroem valor nas empresas. Em metade das causas de insucesso, a causa fundamental é um choque cultural e suas conseqüências: baixo comprometimento e cooperação entre funcionários, maior rotatividade, deterioração no desempenho operacional e declínio no valor para o acionista.”

O outro aspecto e sobre o qual voltaremos a blogar (e muito) é: a quem interessa este mundo no qual predominam organizações gigantescas e multibilionárias ? estarão elas à altura das suas responsabilidades ?

Não percam os próximos capítulos.